Quinta, Maio 24, 2018
   
Texto
      

Emprego novo e recuperação financeira de empresas: como conseguí-los?

Por Paulo França (*)

Agência Internacional de Notícias Soeconomia (www.soeconomia.com.br) (**)

Publicado em 26/09/2015 – 14h17min

A manchete do jornal “Folha de São Paulo” de 26/09, destaca que “Em 12 meses, Brasil fecha 1 milhão de vagas formais”. Se o seu caso está nesta estatística, o que você deve fazer?

Se você faz parte das classes C, D e E, e tinha um emprego com um salário mais reduzido, o primeiro caminho é fazer ou atualizar o seu curriculum e comparecer a um dos escritórios da Secretaria de Trabalho do seu Estado, onde geralmente existem vagas em aberto. Eu estive recentemente em um lançamento de um novo prédio da incorporadora Gafisa e um dos corretores do imóvel comentou-me que ele e a esposa dele tinham perdido o emprego, e que tinham uma criança pequena para sustentar. Eu recomendei que a esposa dele fosse até a estação do metrô Barra Funda, onde há um ponto de atendimento da Secretaria de Trabalho do Governo do Estado de São Paulo. Ela seguiu meu conselho e na segunda-feira, 28/09, ela começa a trabalhar na empresa de alimentos CacauShow.

Para altos executivos ou técnicos que tinham um salário relativamente alto, recomenda-se o seguinte:

Não tire férias de jeito nenhum, pois se fizer isso, você vai diminuir suas reservas financeiras e tornará pior depois a sua campanha para obtenção de um novo emprego. Continue trabalhando no mínimo 8 horas por dia, para reativar contatos profissionais, fazer entrevistas, enviar currículos e ter participação em eventos. Procure não pedir emprego, peça dicas, orientações e sugestões, pois assim a proposta de uma nova vaga surgirá.

Independente da classe social do profissional desempregado e de quanto era o seu salário, procure economizar e calcular por quanto tempo você consegue se manter financeiramente sem ter novas fontes de renda.

Mantenha a sua saúde, alimentando-se bem, praticando esportes e procurando seus amigos (e parentes) para não ficar deprimido.

Sobre recuperação financeira de empresas, tratarei desse assunto em outro artigo, mas procure negociar dívidas em atraso, busque inovar e procure captar novos clientes não só no Brasil, mas também no exterior.

(*) PAULO FRANÇA é Editor da Agência Internacional de Notícias (leitores em 121 países, www.soeconomia.com.br), Presidente da PFC Internacional (www.pfcint.com.br) e Gestor do Banco de Patrocínios (www.bancodepatrocinios.com.br). Consultor, palestrante e jornalista para captação de recursos, negócios digitais e assuntos governamentais.

(**) A Agência Internacional de Notícias Soeconomia tem leitores em 121 países e audiência de mais de 3.300.000 de acessos.

Copyright by PFC Internacional 2015. Essa matéria não pode ser reproduzida por qualquer meio, sem autorização da Presidência da Empresa PFC Internacional, empresa controladora deste veículo de comunicação.

Envie-nos seus comentários e sugestões de pautas. Invista para ser um dos patrocinadores e/ou anunciantes. Contrate a sua campanha de marketing, publicitária e de comunicação crossmedia na Agência Internacional de Notícias Soeconomia e nas Redes Sociais (Facebook, LinkedIn, Twitter, Youtube, Instagram, entre outras).

Entre em contato com a equipe da PFC Internacional:

Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. - skype: paulo.franca.pfcint

WhatsApp e Nextel de São Paulo: 55.11.9.4779.8404

skype: paulo.franca.pfcint

Rádio: ID: 35*136*22335

TIM de São Paulo: 55.11.9.5479.3716

Vivo de São Paulo: 55.11.9.4276.7188

br.linkedin.com/in/paulofrancasoeconomia

twitter.com/paulofrancapfc

facebook.com/PauloFrancaSoeconomia

instagram: @paulofrancaconsultor

Busca

REDES SOCIAIS

Anunciantes